sábado, 14 de agosto de 2010

"Foi assim" ou "Juventude e ternura"

Foi assim

Foi assim
Eu vi você passar por mim
E quando pra você
eu olhei
Logo me apaixonei

Foi assim
O que eu senti não sei dizer
só sei que pude então
compreender
que sem você
meu bem
não posso mais viver

Mas foi tudo um sonho,
foi tudo ilusão
Porque não é meu
seu coração
Alguém roubou
de mim
seu amor
Me deixando nesta solidão

Foi assim
E agora o que é que eu vou fazer
Pra que você
consiga entender
Que sem você
meu bem
Não posso mais viver

Foi assim...



Foi assim ou Juventude e ternura (Renato Correa & Ronaldo Correa) - Evinha(1973)
clique aqui!

Foi assim ou Juventude e ternura (Renato Correa & Ronaldo Correa) - Wanderlea(1968)

Foi assim ou Juventude e ternura (Renato Correa & Ronaldo Correa) - Zizi Possi(1987)

A CANÇÃO CONTADA

No Brasil dos anos 60 a parceria entre o mercado discográfico e o cinema se desenvolveu de uma forma curiosa, que hoje ninguém lembra mais. A relação das imagens em movimento com a música, como se sabe, remonta às origens do cinema, quando os filmes mudos eram apresentados com música ao vivo.

A Jovem Guarda foi uma revolução romântica muito apropriada para o período pós-64. Ela não incomodava o sistema, apenas alienava mais o cidadão. "Se o tipo de vestimenta e o uso de cabelos longos podiam representar rebeldia às normas sociais vigentes ou desejo de transformações, o conteúdo das canções o desmentia. A música "Quero que vá tudo prô inferno", a mais importante na ascensão de Roberto Carlos, resume, de forma extremamente
feliz, as tendências e perspectivas dos jovens e adultos adeptos da Jovem Guarda: individualismo, desisteresse pelos acontecimentos da época, certo
comodismo e até apatia. A expressão "e que tudo mais vá pro inferno" caracteriza muito bem (ainda que os autores não tivessem a intenção) o desinteresse por tudo o que estava ocorrendo na sociedade brasileira."(CALDAS, 1995, p.54-55)

O cinema ajudou a fixar a ideologia do sociólogo Max Weber de que "o homem apolítico, no fundo endossa o regime vigente. Assim, a aparente indiferença política se reverteria em benefício da ideologia dominante no momento, justamente porque o apolítico não questiona, não reivindica, nada faz". (CALDAS, 1995, p.56)

Mais sorte teve Ternurinha, também conhecida como Wanderléa. Ela teve o seu próprio filme, "Juventude e ternura", onde interpreta Beth, uma cantora da juventude, oscilando entre a proteção de um fora-da-lei, Estênio (Anselmo Duarte), e o amor de um pianista, Guy (Ênio Gonçalves), decidindo-se por este último.

Extraído de “Filmografia da Jovem Guarda”, de Glênio Nicola Póvoas.

Abaixo trecho do filme no instante em que Wanderléa canta "Foi assim", de autoria dos irmãos Renato e Ronaldo Correa, integrantes do conjunto vocal "Golden Boys":

video

2 comentários:

Zaíra disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
Qual delas? disse...
Este comentário foi removido pelo autor.