quarta-feira, 29 de julho de 2009

"Ideologia"

Ideologia

Meu partido
É um coração partido
E as ilusões estão todas perdidas
Os meus sonhos foram todos vendidos
Tão barato que eu nem acredito
Eu nem acredito
Que aquele garoto que ia mudar o mundo
(Mudar o mundo)
Frequenta agora as festas do "Grand Monde"

Meus heróis morreram de overdose
Meus inimigos estão no poder
Ideologia
Eu quero uma pra viver
Ideologia
Eu quero uma pra viver

O meu prazer
Agora é risco de vida
Meu sex and drugs não tem nenhum rock 'n' roll
Eu vou pagar a conta do analista
Pra nunca mais ter que saber quem eu sou
Pois aquele garoto que ia mudar o mundo
(Mudar o mundo)
Agora assiste a tudo em cima do muro

Meus heróis morreram de overdose
Meus inimigos estão no poder
Ideologia
Eu quero uma pra viver
Ideologia
Eu quero uma pra viver


Ideologia (Roberto Frejat & Cazuza) - Andrea Montezuma & Jorjao Carvalho(2003)
clique aqui!

Ideologia (Roberto Frejat & Cazuza) - Kesia(1988)

Ideologia (Roberto Frejat & Cazuza) - Cazuza

video

terça-feira, 28 de julho de 2009

"Hoje ou amanha"

Hoje ou amanha (Norival Reis & Rutinaldo Silva) - Joel e Gaucho(1951)
clique aqui!

Hoje ou amanha (Norival Reis & Rutinaldo Silva) - Severino Araujo e sua Orquestra Tabajara(1955)

"Gita"

Gita

"Eu que já andei pelos quatro cantos do mundo procurando,
foi justamente num sonho que ele me falou"

Às vezes você me pergunta
Por que é que eu sou tão calado
Não falo de amor quase nada
Nem fico sorrindo ao teu lado

Você pensa em mim toda hora
Me come, me cospe, me deixa
Talvez você não entenda
Mas hoje eu vou lhe mostrar

Eu sou a luz das estrelas
Eu sou a cor do luar
Eu sou as coisas da vida
Eu sou o medo de amar

Eu sou o medo do fraco
A força da imaginação
O blefe do jogador
Eu sou, eu fui, eu vou

Gita gita gita gita gita

Eu sou o seu sacrifício
A placa de contra-mão
O sangue no olhar do vampiro
E as juras de maldição

Eu sou a vela que acende
Eu sou a luz que se apaga
Eu sou a beira do abismo
Eu sou o tudo e o nada

Por que você me pergunta
Perguntas não vão lhe mostrar
Que eu sou feito da terra
Do fogo, da água e do ar

Você me tem todo dia
Mas não sabe se é bom ou ruim
Mas saiba que eu estou em você
Mas você não está em mim

Das telhas eu sou o telhado
A pesca do pescador
A letra A tem meu nome
Dos sonhos eu sou o amor

Eu sou a dona de casa
Nos pegue-pagues do mundo
Eu sou a mão do carrasco
Sou raso, largo, profundo

Gita gita gita gita gita

Eu sou a mosca da sopa
E o dente do tubarão
Eu sou os olhos do cego
E a cegueira da visão

Mas eu sou o amargo da língua
A mãe, o pai e o avô
O filho que ainda não veio
O início, o fim e o meio (2x)
Eu sou o início, o fim e o meio (3x)


Gita (Raul Seixas & Paulo Coelho) - Maria Bethania ao vivo(1975)
clique aqui!

Gita (Raul Seixas & Paulo Coelho) - O Terco(1999)

Gita (Raul Seixas & Paulo Coelho) - Raul Seixas

video


A CANÇÃO CONTADA

"Gita" é uma canção composta por Raul Seixas e Paulo Coelho que faz alusão a um dos textos sagrados da cultura Védica (originária da Ásia menor), o "Bhagavad-Gitā". Essa canção, faixa-título do quarto disco de Raul, que ainda por cima ganhou disco de ouro, é considerada uma obra de arte na opinião dos admiradores de Raul Seixas, e ocupou destaque em execução em 1974, ano de seu lançamento. A canção foi gravada posteriormente, também por RPM e Rita Lee.

Segundo a história, viveu na Índia entre os séculos XV e XVI, Arjuna (um amigo e devoto de Kŗşņa). Numa guerra Arjuna se viu obrigado a lutar contra membros de sua própria família. Diante de tal impasse, Arjuna rogou pela ajuda de Kŗşņa* (ou Krishna), e esse, em consideração à fidelidade de Arjuna, mostrou a ele sua verdadeira forma(*) e aconselhou-o, no campo de batalha, recitando o "Bhagavad-Gitā".

(*) Na cultura Védica acredita-se que a divindade possua três formas; Kŗşņa seria a forma materialisada de Deus.

terça-feira, 21 de julho de 2009

"Fatal desilusao"

Fatal desilusão

Mulher quem poderia desvendar

Tão cruel destino em teu olhar

Dentro do teu falso amor

Fui buscar somente a minha dor

E sei que esta cruel desilusão

Em breve arrasará meu coração

E tu sorriras.

Do crime que jamais

Teve a sua definição

Jesus pune os fatos que a lei cá da terra

Não pode destinguir no olhar e que nossa alma encerra

Existe pior quem quer matar sorrindo

Punhais que saem d'alma e n'alma vão ferindo

Amor alto, assassino, sanguinário, oculto,

Algoz que se ergue entre nossa alma e sem vulto

Vós que sois de tudo o criador,

Vinde punir as negras perversões do amor...


Fatal desilusao (Jayme Florence(Meira) & Marcial Motta) - Geraldo Maia(2007)
clique aqui!

Fatal desilusao (Jayme Florence(Meira) & Marcial Motta) - Teca Calazans(2007)

sábado, 18 de julho de 2009

"E luxo so"

É luxo só

Olha
essa mulata quando dança
é luxo só
quando
todo seu corpo se balança
é luxo só
tem
o não sei quê que tráz a confusão
o que ela não tem, meu Deus, é compaixão
esta morena bamba
olha
essa mulata quando dança
é luxo só
quando
todo seu corpo se balança
é luxo só
porém
seu coração quando se agita e palpita
mais ligeiro nunca vi
compasso tão brasileiro
eta samba cai pra lá, cai pra cá,
cai pra lá, cai pra cá,
mexe com as cadeiras, mulata
seu requebrado me maltrata, ai, ai


E luxo so (Ary Barroso & Luiz Peixoto) - Elizeth Cardoso(1958)
clique aqui!

E luxo so (Ary Barroso & Luiz Peixoto) - Jorge Goulart(1960)

E luxo so (Ary Barroso & Luiz Peixoto) - Gal Costa ao vivo(1981)

video

sexta-feira, 17 de julho de 2009

"De mais ninguem"

De mais ninguém

Se ela me deixou, a dor
É minha só, não é de mais ninguém
Aos outros eu devolvo a dó,
Eu tenho a minha dor

Se ela preferiu ficar sozinha,
Ou já tem um outro bem.
Se ela me deixou a dor é minha,
A dor é de quem tem.

É meu troféu, é o que restou,
É o que me aquece sem me dar calor
Se eu não tenho o meu amor,
Eu tenho a minha dor.

A sala, o quarto, a casa está vazia,
A cozinha, o corredor
Se nos meus braços ela não se aninha,
A dor é minha.

É o meu lençol, é o cobertor,
É o que me aquece sem me dar calor
Se eu não tenho o meu amor
Eu tenho a minha dor (...)


De mais ninguem (Marisa Monte & Arnaldo Antunes) - Marisa Monte & Epoca de Ouro(1994)
clique aqui!

De mais ninguem (Marisa Monte & Arnaldo Antunes) - Nelson Goncalves(1997)

quinta-feira, 16 de julho de 2009

"Cacada"

Caçada

Não conheço seu nome ou paradeiro
Adivinho seu rastro e cheiro
Vou armado de dentes e coragem
Vou morder sua carne selvagem
Varo a noite sem cochilar, aflito
Amanheço imitando o seu grito
Me aproximo rondando a sua toca
E ao me ver você me provoca
Você canta a sua agonia louca
água me borbulha na boca
Minha presa rugindo sua raça
Pernas se debatendo e o seu fervor
Hoje é o dia da graça
Hoje é o dia da caça e do caçador
Eu me espicho no espaço feito um gato

Pra pegar você, bicho do mato
Saciar a sua avidez mestiça
Que ao me ver se encolhe e me atiça
Que num mesmo impulso me expulsa e abraça
Nossas peles grudando de suor
Hoje é o dia da graça
Hoje é o dia da caça e do caçador

De tocaia fico a espreitar a fera
Logo dou-lhe o bote certeiro
Já conheço seu dorso de gazela
Cavalo brabo montado em pêlo
Dominante, não se desembaraça
Ofegante, é dona do seu senhor
Hoje é o dia da graça
Hoje é o dia da caça e do caçador


Cacada (Chico Buarque) - Bebel Gilberto(2007)
clique aqui!

Cacada (Chico Buarque) - Mestre Ambrosio(1999)

Cacada (Chico Buarque) - Chico Buarque

video


A CANÇÃO CONTADA

“Quando o carnaval chegar” é um filme brasileiro de 1972, do gênero musical, dirigido por Cacá Diegues e com roteiro do próprio Cacá Diegues, Hugo Carvana e Chico Buarque.

“Caçada” faz parte da trilha sonora do filme. clique aqui!

terça-feira, 14 de julho de 2009

"Balance"

Balancê

O Balancê, balancê...
Quero dançar com você
Entra na roda morena
pra ver
O balancê, balancê.

Quando por mim você passa
Fingindo que não me vê
Meu coração quase se despedaça
No balancê, balancê.

Você foi minha cartilha,
Você foi meu A B C,
E por isso
Eu sou a maior maravilha
Do balancê, balancê.

Eu levo a vida pensando
Pensando só em você
E o tempo passa
E eu vou me acabando
No balancê, balancê....


Balance (Braguinha & Alberto Ribeiro) - Ana Belen(1982)
clique aqui!

Balance (Braguinha & Alberto Ribeiro) - Carmem Miranda(1936)

Balance (Braguinha & Alberto Ribeiro) - Roberta Sa ao vivo(2009)

video


A CANÇÃO CONTADA

Em 1937, ano em que se instaurou o Estado Novo, Braguinha firma-se no cenário artístico nacional, compondo “Balancê” e escrevendo a letra para “Carinhoso”, o hino da música brasileira, que é eternamente cantado por todas as gerações que se rendem, fascinadas, à força dos versos românticos, como: (“Meu coração, não sei porquê / bate feliz quando te vê...”).

Depois, “Balancê”, repita-se, disco lançado em 1937, na voz de Carmen Miranda, 42 anos depois, em 1979, na extraordinária interpretação de Gal Costa, virou uma explosão musical clique aqui!.

"Paulo Gadelha - Desembargador Federal do TRF da 5ª Região"

domingo, 12 de julho de 2009

"Amor alheio"

Amor alheio

Tu foste embora e agora o meu coração
É um coração cortado ao meio
Cada metade dele é uma emoção
Numa eu te adoro, noutra eu te odeio

Tu foste embora e agora em mim, que aflição
Custo a conter o meu anseio
Fiquei achando que ia ter teu perdão
Quis tanto ter teu perdão
E ele não veio

Tu foste embora, meu bem
E eu vivo com receio
É tanto amor que a gente tem
Que é triste ver que o amor de alguém
Não foi amor, foi devaneio

Tu foste embora de mim
E eu quase ainda não creio
Por isso é que eu fiquei assim
Pois só se crê que o amor tem fim
Quando é o fim do amor alheio


Amor alheio (Ivor Lancellotti & Paulo Cesar Pinheiro) - Ivor Lancellotti & Moreno Veloso(1998)

Amor alheio (Ivor Lancellotti & Paulo Cesar Pinheiro) - Joanna & Fagner(2003)


A CANÇÃO CONTADA

Por ocasião da gravação com a participação de Fagner, a canção "Amor Alheio” (Ivor Lancellotti & Paulo Cesar Pinheiro) foi escolhida a dedo por Joanna, por se tratar de uma música singularíssima em sua vida. A cantora já a havia gravado no disco de 1985 clique aqui!.

"Extraído do site oficial de Joanna".

sábado, 11 de julho de 2009

"Valsa da solidao"

Valsa da solidão

Onde estava tanta estrela que eu não via
Onde estavam os meus olhos que não te encontrava
Onde foi que pisei e não senti
O ruído de teus passos em meu caminho
Onde foi que vivi
Se nem me lembro se existi antes de você
Ah, foi você quem trouxe essa tarde fria
E essa estrela pousada em meu peito
Ah, foi você quem trouxe todo esse vazio
E toda essa saudade
Toda essa vontade de morrer de amor


Valsa da solidao (Paulinho da Viola & Herminio Bello de Carvalho) - Elizeth Cardoso(1985)
clique aqui!

Valsa da solidao (Paulinho da Viola & Herminio Bello de Carvalho) - Roberta Sa(2005)

Valsa da solidao (Paulinho da Viola & Herminio Bello de Carvalho) - Roberta Sa ao vivo

video

sexta-feira, 10 de julho de 2009

"Um girassol da cor do seu cabelo"

Um girassol da cor do seu cabelo

Vento solar e estrelas do mar
A terra azul da cor de seu vestido
Vento solar e estrelas do mar
Você ainda quer morar comigo

Se eu cantar não chore não
É só poesia
Eu só preciso ter você
Por mais um dia
Ainda gosto de dançar
Bom dia
Como vai você?

Sol, girassol, verde, vento solar
Você ainda quer dançar comigo
Vento solar e estrelas do mar
Um girassol da cor de seu cabelo

Se eu morrer não chore não
É só a lua
É seu vestido cor de maravilha nua
Ainda moro nesta mesma rua
Como vai você?
Você vem?
Ou será que é tarde demais?

O meu pensamento tem a cor de seu vestido
Ou um girassol que tem a cor de seu cabelo?


Um girassol da cor do seu cabelo (Lo Borges & Marcio Borges) - Andre Mehmari(2008)
clique aqui!

Um girassol da cor do seu cabelo (Lo Borges & Marcio Borges) - Diana Pequeno(1985)

Um girassol da cor do seu cabelo (Lo Borges & Marcio Borges) - Lo Borges ao vivo

video