quarta-feira, 28 de abril de 2010

"A grande ausente"

A grande ausente

A minha amada
Vinha sempre nessa estrada
Carregada de carinho
Nada tinha em seu caminho
Que não fosse todo seu
E eu também era todo seu
Até que o amor nos dividiu
O amor parou e ela seguiu
Sem compaixão de me deixar
Com esse amor que é de assustar
E sem sequer saber chorar
Meu coração fraqueja
Devagar que seja
Vai morrer
Ai, volte e me proteja
Contras as garras desse amor
Que dilacera um trovador
Vencido que ainda espera

Oh, minha amada
Enfeitei a nossa estrada
Com palmeira e passarinho
Pra que surjas de mansinho
Só vestida de luar
Que eu vou depois me abandonar
Por dentro dos teus anseios
Meus receios vão se acabar


A grande ausente (Francis Hime & Paulo Cesar Pinheiro) - Francis Hime(1982)

A grande ausente (Francis Hime & Paulo Cesar Pinheiro) - Silvia Maria(1968)

A grande ausente (Francis Hime & Paulo Cesar Pinheiro) - Taiguara ao vivo(1968)

video


A CANÇÃO CONTADA

Em 1968, Francis Hime fez com Paulo Cesar Pinheiro uma de suas primeiras parcerias, "A grande ausente", defendida por Taiguara no IV Festival da Música Popular Brasileira, da TV Record (vídeo acima), e classificada em sexto lugar clique aqui!.

Vaiada por parte do público que não permitiu que Taiguara terminasse a interpretação em uma das apresentações, o tempo fez com que houvesse o reconhecimento da qualidade da mesma, conforme opina Antonio Mariano Junior: "Modulações magníficas, frases delicadas, constatações aparentemente simples da letra: “O amor parou e ela seguiu”.

Mais adiante, em 1997, recebeu gravação com arranjo para piano, baixo e violoncelo (Yura Ranevsky), em contraponto ao timbre cristalino de Zé Renato, acentuando o caráter nostálgico da obra clique aqui!.




sexta-feira, 23 de abril de 2010

"Cochichando"

Cochichando


Murmurando cochichando vive sempre a falar mal de mim
Sem querer perceber que a final eu não, eu não sou mal assim
Murmurando cochichando quem te ouvir de pensar e capaz,
Que o nosso amor já não tem calor e que não somos felizes demais
Eu sou teu e tu eis só minha
Quem nos conhecer inveja sentirá de nosso amor,
Porém sempre a brigar e a duvidar de um bem querer Transformar sempre em aflição o que só deve ser prazer,
Por que será que eis tão má assim, se o nosso amor não pode ter fim.
Eu acho bom deixar este cochicho pois sei que é capricho e que gosta só de mim.


Cochichando (Pixinguinha & Braguinha & Alberto Ribeiro) - Eduardo Duzek & Zeze Gonzaga(1997)
clique aqui!

Cochichando (Pixinguinha) - Charlie Byrd & Laurindo de Almeida(1990)

Cochichando (Pixinguinha) - Dilermando Reis(1972)

Cochichando (Pixinguinha) - Henrique Cazes & Marcello Goncalves(2000)

Cochichando (Pixinguinha) - Jacob do Bandolim(1957)

Cochichando (Pixinguinha) - Mario Seve & David Ganc(2005)

Cochichando (Pixinguinha) - Nicolas Krassik(2004)

Cochichando (Pixinguinha) - Bando de Chorões para o filme "Brasileirinho"

video


A CANÇÃO CONTADA

o II Festival Curitiba no Choro - Concurso Nacional de Composição - Edição 2010, uma iniciativa do Clube do Choro de Curitiba, reuniu competidores de todo o país e, agora, chega a sua reta final com 12 semifinalistas. As apresentações, sempre às 21 horas, acontecem no Museu Oscar Niemeyer - Auditório Poty Lazzarotto (Rua Marechal Hermes, 999, Centro Cívico). Na sexta (23/04), quando é comemorado o Dia Nacional do Choro, será realizada a semifinal com a participação de12 selecionados. Destes, apenas cinco vão para a grande final que acontece no sábado, dia 24. Antes de a organização anunciar os vencedores do festival, acontece uma roda de choro com os músicos Pedro Amorim, Proveta e regional.

O Festival Curitiba no Choro foi aberto aos músicos de todo o país e teve como principais objetivos: incentivar a composição e o desenvolvimento do choro, divulgar a produção dos compositores contemporâneos e popularizar o gênero. Nesta edição foram aceitos somente choros instrumentais, inéditos e originais. E na primeira fase foram selecionados 12 semifinalistas, após uma análise criteriosa da primeira comissão julgadora formada pelo compositor e flautista carioca Eduardo Neves, pelo bandolinista brasiliense Jorge Cardoso e pelo maestro e arranjador Vicente Ribeiro.

Entre os selecionados, há quatro chorões classificados do Rio de Janeiro, dois de Brasília, dois de Minas Gerais, um do Rio Grande do Sul, um do Maranhão, um dos Estados Unidos e um de Curitiba(o bandolinista Daniel Migliavacca com a composição “Dedos de caranguejo”). Os instrumentistas vão disputar 7 mil reais em prêmios - que serão distribuídos do primeiro ao terceiro colocado, respectivamente, R$4 mil, R$2 mil e R$1 mil.

O festival

O violonista João Egashira, que faz a direção artística ao lado do flautista Gabriel Schwartz, comenta que o Festival tem como objetivo principal estimular e movimentar as pessoas para a criação do choro. "A composição é a forma de perpetuar o gênero. Além de reverenciar os grandes chorões consagrados, para termos uma continuidade da história do choro é necessário compor. Assim, colocamos elementos da nossa época no que já é consagrado", considera.

Schwartz concorda com o amigo e revela que eles receberam inscrições de todas as regiões brasileiras e até do exterior, superando todas as expectativas iniciais. "A resposta foi muito forte. O resultado do festival até o momento tem sido excelente, principalmente, pela qualidade dos choros que apareceram", completa.

A segunda edição do Festival Curitiba do Choro acontece, não coincidentemente, no dia 23 de abril, quando é comemorado o "Dia Nacional do Choro". A data foi criada no ano 2000 quando o Governo Federal resolveu homenagear o ilustre compositor brasileiro Pixinguinha (1897/1973) criando, através de Lei, o Dia Nacional do Choro, exatamente no dia de seu nascimento: 23 de abril. A idéia pegou. Hoje, no país inteiro, a efeméride é comemorada com várias rodas de choro e outras atividades culturais reverenciando o gênero que, ao lado do samba, é a mais pura manifestação da música brasileira.

Serviço: II Festival Curitiba no Choro. Concurso Nacional de Composição - Edição 2010. Direção artística: João Egashira e Gabriel Schwartz. No Auditório Poty Lazzarotto do MON - Museu Oscar Niemeyer (Rua Marechal Hermes, 999, Centro Cívico – Curitiba PR). Informações: 41 3222 0355 e 41 9600 4602. Sexta-feira, dia 23, às 21h., semifinal (abertura com o Clube do Choro de Curitiba). No sábado, dia 24, às 21h, finalíssima e show com Pedro Amorim, Proveta e Regional. Ingressos a R$10 e R$5 (meia p/ estudantes, idosos e doação de agasalho).

Extraído do blog www.cartunistasolda.blogspot.com


segunda-feira, 19 de abril de 2010

"Minha vontade" ou "Passarinho"

Minha Vontade ou Passarinho

Quero viver como um passarinho
Cantar, voar sem direção
Quando quiser construir meu ninho
Hei de encontrar um coração
Por enquanto eu quero viver
Com toda liberdade
Cantando aqui, pousando ali
Esta é a minha vontade

Não, eu não quero prisão
Para o meu coração
Eu não quero
Será bem triste o meu fim
Se eu não conseguir
Ter a minha vida assim


Minha vontade ou Passarinho (Chatim) - Beth Carvalho(1978)
clique aqui!

Minha vontade ou Passarinho (Chatim) - Clementina de Jesus & Conjunto Rosa de Ouro(1965)

Minha vontade ou Passarinho (Chatim) - Componentes da Portela(1957)

Minha vontade ou Passarinho (Chatim) - Cristina Buarque & Velha Guarda da Portela(2000)

Minha vontade ou Passarinho (Chatim) - Ze Carlos & Raul de Barros(1979)

Minha vontade ou Passarinho (Chatim) - Teresa Cristina & Velha Guarda da Portela ao vivo(2008)

video

sexta-feira, 16 de abril de 2010

"Maria do futuro"

Maria do futuro

Duna branca, lua imensa, Maria deita
nua e branda como as nuvens que a lua enleita.
Duas tranças, uma flor e Maria enfeita
suas mansas curvas cheias que a areia aceita.

Era noite de verão,
vi o amor nascer num sorriso seu.
O luar me convidou,
o mar nos temperou e ela me envolveu...

Nessa rede ela prendeu
minha dor civil, minha solidão.
Nessa rede eu vi nascer minha liberdade.

Tua rede, minha sede,
e o amor te trouxe...
Quero ver o mar salgando teu seio doce...
E em cadeias de amor puro
viver guardado...
Joga areias do futuro no meu passado.


Maria do futuro (Taiguara) - Fagner(2007)
clique aqui!

Maria do futuro (Taiguara) - Pery Ribeiro(1999)

Maria do futuro (Taiguara) - Taiguara ao vivo

video


A CANÇÃO CONTADA

10 ANOS DE SAUDADES

Taiguara nos deixou em matéria, há exatos 10 anos. Mas Taiguara, ao longo da vida e carreira, nos deixou uma das obras mais completamente lindas de todos os tempos.

Mais do que uma data de tristeza, acho que devemos nos alegrar por termos tido a oportunidade de conhecer a sua obra, de conhecer a sua garra, a luta que ele travou contra a ditadura, os exemplos de humanidade e bem querer, e a sensibilidade que ele tinha com uma simples Maria da Praia do Futuro... clique aqui!

Extraído do site da cantora Claudia Telles, postado em 13/02/2006

sábado, 10 de abril de 2010

"O bonde"

O bonde

Corre no meio da praça
Sem sonho e sem graça
sem Ter mais pra onde ou por que
já que esse bonde não passa
ninguém mais espera
quem dera eu pudesse entender
vira brinquedo sem dono
que o próprio abandono
correndo no tempo desfaz
fora de linha e de moda
não passa, não corre
não leva mais
quem não quiser chorar
finja que vai partir
tome lugar no bonde
não peça que ande
nem diga por onde seguir
lembre que só depois
quando chegar ao fim
mesmo sem brilho e sem glória
haverá sua história contada assim
passa em seu passo tranquilo e cansado
de quem já sabe de cor seu destino
pára, suspira e prossegue
vai percorrendo ( ) de sua rotina
de sempre ir chegando e partindo
por um caminho traçado no chão
cantando contente tin tin tin
chega ao ponto final
vem companheiro e confessa
que o bonde sem pressa
chegava depressa demais
quem não achava o dinheiro
saltava ligeiro ( ... ) de trás
corre no meu pensamento
transforma em cantiga
momentos que foram talvez
e hoje quem passa nem liga
nem pensa em dizer adeus.



O bonde (Mauricio Tapajos & Sidney Miller & Sueli Costa) - Mauricio Tapajos(1984)
clique aqui!

O bonde (Mauricio Tapajos & Sidney Miller & Sueli Costa) - Sueli Costa ao vivo(2007)

O bonde (Mauricio Tapajos & Sidney Miller & Sueli Costa) - Ze Luiz Mazziotti(1983)

segunda-feira, 5 de abril de 2010

"Se tu soubesses"

Se tu soubesses

Quando estou perto de ti
quero confessar-te tudo
mas eu juro meu amor que tenho medo
quando olhas para mim eu fico mudo
e não consigo revelar o meu segredo.

Se tu soubesses como estou apaixonado,
se tu soubesses como é grande o meu amor,
ao ouvir a canção que eu fiz a chorar
talvez teu coração me quisesse escutar...

Se tu soubesses como estou desesperado,
Se tu soubesses como é grande a minha dor
Eu bem sei que virias sorrindo para mim
Se tu soubesses que eu estou sofrendo assim
Se tu soubesses porque estou sofrendo assim.


Se tu soubesses (Georges Moran & Cristovao de Alencar) - Carlos Jose(1966)
clique aqui!

Se tu soubesses (Georges Moran & Cristovao de Alencar) - Dalva de Andrade(1960)

Se tu soubesses (Georges Moran & Cristovao de Alencar) - Lucio Alves(1957)

Se tu soubesses (Georges Moran & Cristovao de Alencar) - Silvio Caldas(1973)

Se tu soubesses (Georges Moran & Cristovao de Alencar) - Ze Renato(1992)