quarta-feira, 28 de abril de 2010

"A grande ausente"

A grande ausente

A minha amada
Vinha sempre nessa estrada
Carregada de carinho
Nada tinha em seu caminho
Que não fosse todo seu
E eu também era todo seu
Até que o amor nos dividiu
O amor parou e ela seguiu
Sem compaixão de me deixar
Com esse amor que é de assustar
E sem sequer saber chorar
Meu coração fraqueja
Devagar que seja
Vai morrer
Ai, volte e me proteja
Contras as garras desse amor
Que dilacera um trovador
Vencido que ainda espera

Oh, minha amada
Enfeitei a nossa estrada
Com palmeira e passarinho
Pra que surjas de mansinho
Só vestida de luar
Que eu vou depois me abandonar
Por dentro dos teus anseios
Meus receios vão se acabar


A grande ausente (Francis Hime & Paulo Cesar Pinheiro) - Francis Hime(1982)

A grande ausente (Francis Hime & Paulo Cesar Pinheiro) - Silvia Maria(1968)

A grande ausente (Francis Hime & Paulo Cesar Pinheiro) - Taiguara ao vivo(1968)

video


A CANÇÃO CONTADA

Em 1968, Francis Hime fez com Paulo Cesar Pinheiro uma de suas primeiras parcerias, "A grande ausente", defendida por Taiguara no IV Festival da Música Popular Brasileira, da TV Record (vídeo acima), e classificada em sexto lugar clique aqui!.

Vaiada por parte do público que não permitiu que Taiguara terminasse a interpretação em uma das apresentações, o tempo fez com que houvesse o reconhecimento da qualidade da mesma, conforme opina Antonio Mariano Junior: "Modulações magníficas, frases delicadas, constatações aparentemente simples da letra: “O amor parou e ela seguiu”.

Mais adiante, em 1997, recebeu gravação com arranjo para piano, baixo e violoncelo (Yura Ranevsky), em contraponto ao timbre cristalino de Zé Renato, acentuando o caráter nostálgico da obra clique aqui!.




Um comentário:

prvicter disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.